Saudálito

Archive for fevereiro 2009

gengiviteA gengivite, ou inflamação da gengiva, é uma grande provocadora de mau hálito. Porém a culpa disso vem da higiene deficiente de  quem não escova direito os dentes, e principalmente, a gengiva.

Uma coisa que sempre falo aos meus pacientes é para sempre escovarem os dentes pensando também na gengiva. Na realidade, peço que massageiem bem ela no momento da escovação. E por que  isso?

É a gengiva a responsável pela nutrição e saúde das estruturas de suporte dos dentes, ou seja, de tudo aquilo que faz a sustentação do dente na boca. Se ela está sufocada por restos alimentares (a placa bacteriana  e o tártaro), é normal que sangre bastante e nunca volte ao estado saudável,  provocando o amolecimento dos dentes (muitas das vezes estes sem sinal de cárie).

E não preciso nem comentar, o cheiro é muito desagradável,  pois junta a putrefação do restos alimentares com a presença do paredão de tártaro e do sangue. Apesar disso,  há quem consiga resistir a escovação diária , dizendo não sentir cheiro nenhum. É mole?

fonte da imagem: UNIMES (Casos Clínicos)

Anúncios

Se ainda não o fez, após assistir ao comercial a seguir (de um creme dental tailandês), veja se vale a pena. Seu animal de estimação agradece!

crianca_halitoÉ difícil de acreditar que uma criança pode ter mau hálito, mas infelizmente é verdade.

São muitas as causas, mas o responsável de maior frequência pela halitose infantil são as cáries em evolução e sem tratamento. No entanto, as alterações que causam a halitose nos adultos também atingem as crianças. O estresse, a alimentação inadequada, a higiene deficiente normalmente ligadas ao descuido dos seus pais ou responsáveis.

O que eu normalmente oriento é o seguinte: ao perceber este quadro na criança que faz parte de sua vida, leve-a a um dentista para investigar a causa. Dependendo do diagnóstico, pode ser identificado um problema de saúde ainda não percebido por ninguém.

Fonte da imagem: Flickr (mishgun)

Como foi comentado no post anterior, o desconforto causado pela baixa salivação (xerostomia) devido ao tratamento quimioterápico e radioterápico é enorme, mas tem solução. Para alguns casos, sobretudo os mais graves, se torna necessário o uso da saliva artificial.

A estimulação da saliva nem sempre irá trazer o conforto desejado pelo paciente. Por isso, uma saída é o uso da saliva artificial para lubrificação da cavidade bucal, melhorando a sensação de secura, a deglutição e a fala – isso sem mencionar o poder de ajuda na limpeza da cavidade oral.

A saliva artificial nada mais é do que um lubrificante oral, cuja finalidade é garantir de que o funcionamento da cavidade oral continue estável . Ela pode ser adquirida em farmácias de manipulação, farmácias convencionais ou solicitada em sites específicos na internet.

Sua consistência é a de um gel transparente sem cor e também sem sabor, normalmente à base de água e glicerina. Para quem não gosta da sensação do gel na boca, já existe a saliva artificial em spray que é nova no mercado e tem tido uma grande aceitação por quem já fez uso das de gel.

Fonte da imagem: Xerostom (exemplo de produto no mercado estrangeiro)

quimioterapia
Aparelho de quimioterapia. Fonte da imagem: Flickr (Jan Charles Linus Ekenstam)

Um dos sintomas desagradáveis do tratamento quimioterápico e radioterápico é a xerostomia (baixo fluxo salivar). Poucas pessoas que fazem ou fizeram estes tipos de tratamento sabem que a sensação de secura bucal, dificuldade de engolir e de falar é consequência do tratamento. Com isso, poucas pessoas procuraram o alívio ou solução para este grande desconforto.

O fluxo salivar normal está em torno de 2,5 a 3,5 ml/min, sendo que o valor encontrado em quem está sob efeito destes tratamentos pode alcançar o valor de 0,2 ml/min.

Além das sensações desagradáveis já citadas, a cárie pode ser a mais destruidora, já que sem saliva suficiente para que ocorra a lubrificação e limpeza oral, as suas bactérias ficam livres para exercer sem limites seus estragos nos dentes.

No tratamento para estimular o fluxo salivar podem ser usados estimulantes mecânicos, gustatórios ou medicamentosos.

O especialista em halitose também está habilitado a tratar deste desagradável incômodo que pode ser, dependendo da intensidade da xerostomia, resolvida com um grande grau de conforto ao paciente.

Quando digo que a falta de higiene é uma dos motivos mais recorrentes do mau hálito, mais eu me certifico de que não é exagero. Veja o que acontece neste inusitado comercial tailandês da Salz-Habu, uma popular pasta de dentes do país:

medicamentosfonte da imagem: (Flickr: bitzi)

Infelizmente os medicamentos também podem nos causar halitose. Embora sirvam para a realização de tratamentos e curas de várias doenças, eles também podem ter ser efeitos adversos.

Alguns tipos de medicamentos já são identificáveis facilmente quando usamos. Outros dão um certo trabalhinho até passarmos a desconfiar deles.

Os mais comuns causadores de mau hálito são os antibióticos, as sulfas e as vitaminas do complexo B, independente de como seja a via de aplicação (oral, subcutânea, intramuscular ou endovenosa).

Existem também diversos tipos de medicamentos que podem causar odores específicos, como uma droga utilizada no tratamento de dores musculares, o dimetilsulfóxido, que, no momento de sua transformação no organismo, exala um odor parecido com a essência do alho. Por conta disso, muitas vezes é motivo de reclamação por aqueles que o utilizam. Já outros podem disseminar um cheiro de eucalipto, como no caso dos medicamentos utilizados para inalação em gripes e crises respiratórias.

Na realidade, existem diversos exemplos destas variantes de hálito pós-uso de medicação, tanto por causa de seus componentes como por até mesmo causarem também a xerostomia (diminuição de fluxo salivar).

Por isso, se a suspeita de mau hálito estiver presente em sua vida, analise se está fazendo uso de alguma medicação no momento e consulte seu médico. Nunca fique na dúvida!


Saúde + Hálito

Saudálito é um blog sobre o tema halitose e assuntos relacionados ao mau hálito. Regularmente são publicadas informações didáticas e dicas sobre este problema bastante corriqueiro na vida de todos, visando o esclarecimento acerca dos possíveis tratamentos e prevenções deste sintoma. Para informações sobre atendimento clique em Contato.

Blogs de colegas dentistas: