Saudálito

Archive for the ‘Doenças’ Category

O termo disgeusia significa paladar alterado, sendo por diminuição ou alguma distorção nele.

E por que isso ocorre? Existem vários motivos que justifiquem essa alteração de gosto na boca.

Um dos motivos é a carência de zinco no organismo, que ao ser resposta a sensação desagradável é corrigida.

Alguns medicamentos como anti-hipertensivos e ansiolíticos causam a alteração do gosto e quando causa muito desconforto ao paciente, deve-se avaliar a possibilidade de mudança ou alteração de dosagem por parte de seu médico.

Outra forma de alteração do paladar, que não está dentro da disgeusia é quando a língua é saburrosa e neste caso, são os restos alimentares em fase putrefativa que alteram o gosto na boca e o hálito.

O importante é identificar o que causa essa alteração e corrigí-la da maneira correta.

A síndrome de Sjögren é uma doença inflamatória do tipo auto-imune, com redução progressiva da secreção das glândulas salivares e lacrimais.

Além de causar muito desconforto pelo ressecamento bucal e ocular,  essa redução progressiva das secreções poder causar a halitose.

Como ja foi falado em post anterior, baixo fluxo salivar acarreta o surgimento do mau hálito, dentre outras consequências ruins.

A importância do diagnóstico precoce desta síndrome é propiciar o tratamento adequado para ela, minimizando e controlando a diminuição da função das glândulas salivares e, com isso, evitar um eventual efeito irreversível.

Um especialista em halitose pode, junto com o tratamento médico (em geral, conduzido por um reumatologista) indicado para esta patologia, fazer o controle da xerostomia, permitindo através de vários artifícios impedir a diminuição progressiva desta função e, com isso, proporcionar um conforto ao portador dela.

Há casos em que o único consolo é a saliva artificial, pois a secreção salivar já não é suficiente para a proteção e lubrificação da cavidade oral.

Por isso, somente a prevenção e a procura de profissionais corretos para cada patologia podem promover uma condição saudável ao paciente que tem a sindrome de Sjögren.


Fonte da imagem: blog Síndrome de Sjögren

P.S.: para ver mais informações sobre a doença, visite o blog potuguês Síndrome de Sjögren.


Fonte da imagem: Flickr (John Anthony Evans)

A informação que trago aqui é muito importante e pouquíssimas pessoas têm acesso: se refere ao tratamento do fluxo salivar em pacientes que se tratam com quimioterapia e radioterapia.

Porque tratar o fluxo salivar? Na verdade, quem passa por estes dois tipos de tratamento sofre uma grande alteração de fluxo de saliva. E ela é justamente a responsável pela hidratação, limpeza da cavidade oral e proteção aos dentes das bactérias da cárie.

Neste tipo de tratamento é comum os dentes ficarem muito fragilizados e fraturarem, a mucosa ficar cheia de feridinhas e a boca muito ressecada por conta da diminuição da saliva.

E o que fazer? Nesta especialidade de halitose são utilizados meios para estimulação da saliva, atuando nas glandulas salivares. Elas não devem parar de funcionar, pois os danos na cavidade bucal são muito acentuados.

Então, saibam que as pessoas que fazem tratamento oncológico devem procurar este especialista para minimizar os efeitos indesejáveis que geralmente causam a saúde bucal deste paciente, já bastante fragilizado.

Ir ao dentista especializado neste assunto também é parte deste tratamento! 🙂

asma_inalador
Fonte da imagem: Flickr (viralbus)

Ao atender os inúmeros pacientes dia a dia na clínica, vez por outra tive queixas de asma. Muitos não tinha um acompanhamento frequente no seu tratamento para a asma e outros o faziam direitinho.

O que foi percebido em todos os casos era a ansiedade presente causada pela sintomatologia de falta do ar, gerando quadro de xerostomia, conhecida também como baixa salivação.

As medicações são de suma importância para quem está em tratamento, mas o  fator baixa salivação estará presente na maioria dos casos e isto é um causador de halitose em quem sofre da asma. Por isso, fazer o tratamento preventivo com seu médico é importantíssimo para avaliar as condições gerais da saúde do organismo, pois o mau hálito é um alarme de que algo não está bem.

Neste portal  pode-se tirar muitas dúvidas de como lidar com um possível quadro de asma : www.mitosdaasma.com.br

gripe_mascaraAproveitando que o tema gripe está tão divulgado ultimamente, seja pela nossa campanha de vacinação ou pela gripe suína, aproveito para orientar aos que se encontram gripados em relação ao mau hálito.

Por conta do mal estar causado por ela, a tendência é nos alimentarmos de maneira deficiente e bebermos pouco líquido. Desta forma surge a halitose, provocada pela baixa salivação e pelo jejum, sem considerar as infecções de garganta que também exalam um odor bem desagradável.

Além disso, o uso indiscriminado de antigripais por conta própria também pode gerar mau hálito por excesso de remédios.

Assim, já que estamos num período de mudanças climáticas e o surgimento de novas doenças, nada melhor do que recorrermos  a prevenção alimentando-se  cuidando-se melhor.

Fonte da imagem: Flickr (jimmy_avila)

insulina_agulhaSer dentista pode parecer algo óbvio quando se pensa que fazemos apenas a reconstituição do que é e foi uma boca saudável um dia. Ser dentista significa ter amplo conhecimento de saúde geral de todos os pacientes que passamos atender, ou seja, reconhecer através de sinais e sintomas alguns problemas de sáude.

Através do hálito podemos identificar por exemplo o diabetes. E é fácil? Não, é preciso ser observador e, principalmente, analisar o paciente de maneira detalhada e cuidadosa.

Neste caso, o que se pode identificar é um odor adocicado semelhante à cana de açúcar,denonimado hálito cetônico.

E qual a importância em saber isto? Uma vez identificado este problema que seu paciente nunca imaginara ter até então, ele provavelmente irá vê-lo com olhos de agradecimento e de admiração pelo cuidado dispensado à sua saúde geral. Afinal de contas, não cuidamos de bocas, mas sim de quem as tem.

Pense nisso!

Fonte da imagem: Flickr (DeathByBokeh)

O refluxo gástrico-esofágico atinge um número grande de pessoas e muitas não se tratam corretamente. Entretanto, é um erro dizer que toda pessoa que sofre deste problema possui mau hálito decorrente de refluxo.

Quando o paciente possui um quadro anatômico diferente do normal, a a comunicação do ar estomacal pode ocorrer mais facilmente, porém o odor não é característico de mau hálito comum: o odor percebido é o de vômito.

Muitos pacientes que sofrem do refluxo geralmente apresentam um perfil de stress grande devido a diversos fatores, tais como limitação ao se alimentar e desconfortos diários, de diversas origens, que trazem um certo grau de stress emocional.

Por este motivo, a ocorrência de baixa salivação motivada pelo stress é o que na maioria das vezes causa o mau hálito. Associado a isso também está a alimentação inadequada, os grandes intervalos em jejum e o modo de encarar este problema. Tudo isso só tende a piorar o refluxo e  a halitose.

Portanto, se você tiver refluxo e também mau hálito faça uma avaliaçao com seu médico especialista. Afinal, o refluxo por si só nao causa o mau hálito, mas sim o modo de se encarar este problema.


Saúde + Hálito

Saudálito é um blog sobre o tema halitose e assuntos relacionados ao mau hálito. Regularmente são publicadas informações didáticas e dicas sobre este problema bastante corriqueiro na vida de todos, visando o esclarecimento acerca dos possíveis tratamentos e prevenções deste sintoma. Para informações sobre atendimento clique em Contato.

Blogs de colegas dentistas: