Saudálito

Archive for the ‘Xerostomia’ Category

asma_inalador
Fonte da imagem: Flickr (viralbus)

Ao atender os inúmeros pacientes dia a dia na clínica, vez por outra tive queixas de asma. Muitos não tinha um acompanhamento frequente no seu tratamento para a asma e outros o faziam direitinho.

O que foi percebido em todos os casos era a ansiedade presente causada pela sintomatologia de falta do ar, gerando quadro de xerostomia, conhecida também como baixa salivação.

As medicações são de suma importância para quem está em tratamento, mas o  fator baixa salivação estará presente na maioria dos casos e isto é um causador de halitose em quem sofre da asma. Por isso, fazer o tratamento preventivo com seu médico é importantíssimo para avaliar as condições gerais da saúde do organismo, pois o mau hálito é um alarme de que algo não está bem.

Neste portal  pode-se tirar muitas dúvidas de como lidar com um possível quadro de asma : www.mitosdaasma.com.br

Anúncios

Como foi comentado no post anterior, o desconforto causado pela baixa salivação (xerostomia) devido ao tratamento quimioterápico e radioterápico é enorme, mas tem solução. Para alguns casos, sobretudo os mais graves, se torna necessário o uso da saliva artificial.

A estimulação da saliva nem sempre irá trazer o conforto desejado pelo paciente. Por isso, uma saída é o uso da saliva artificial para lubrificação da cavidade bucal, melhorando a sensação de secura, a deglutição e a fala – isso sem mencionar o poder de ajuda na limpeza da cavidade oral.

A saliva artificial nada mais é do que um lubrificante oral, cuja finalidade é garantir de que o funcionamento da cavidade oral continue estável . Ela pode ser adquirida em farmácias de manipulação, farmácias convencionais ou solicitada em sites específicos na internet.

Sua consistência é a de um gel transparente sem cor e também sem sabor, normalmente à base de água e glicerina. Para quem não gosta da sensação do gel na boca, já existe a saliva artificial em spray que é nova no mercado e tem tido uma grande aceitação por quem já fez uso das de gel.

Fonte da imagem: Xerostom (exemplo de produto no mercado estrangeiro)

quimioterapia
Aparelho de quimioterapia. Fonte da imagem: Flickr (Jan Charles Linus Ekenstam)

Um dos sintomas desagradáveis do tratamento quimioterápico e radioterápico é a xerostomia (baixo fluxo salivar). Poucas pessoas que fazem ou fizeram estes tipos de tratamento sabem que a sensação de secura bucal, dificuldade de engolir e de falar é consequência do tratamento. Com isso, poucas pessoas procuraram o alívio ou solução para este grande desconforto.

O fluxo salivar normal está em torno de 2,5 a 3,5 ml/min, sendo que o valor encontrado em quem está sob efeito destes tratamentos pode alcançar o valor de 0,2 ml/min.

Além das sensações desagradáveis já citadas, a cárie pode ser a mais destruidora, já que sem saliva suficiente para que ocorra a lubrificação e limpeza oral, as suas bactérias ficam livres para exercer sem limites seus estragos nos dentes.

No tratamento para estimular o fluxo salivar podem ser usados estimulantes mecânicos, gustatórios ou medicamentosos.

O especialista em halitose também está habilitado a tratar deste desagradável incômodo que pode ser, dependendo da intensidade da xerostomia, resolvida com um grande grau de conforto ao paciente.

medicamentosfonte da imagem: (Flickr: bitzi)

Infelizmente os medicamentos também podem nos causar halitose. Embora sirvam para a realização de tratamentos e curas de várias doenças, eles também podem ter ser efeitos adversos.

Alguns tipos de medicamentos já são identificáveis facilmente quando usamos. Outros dão um certo trabalhinho até passarmos a desconfiar deles.

Os mais comuns causadores de mau hálito são os antibióticos, as sulfas e as vitaminas do complexo B, independente de como seja a via de aplicação (oral, subcutânea, intramuscular ou endovenosa).

Existem também diversos tipos de medicamentos que podem causar odores específicos, como uma droga utilizada no tratamento de dores musculares, o dimetilsulfóxido, que, no momento de sua transformação no organismo, exala um odor parecido com a essência do alho. Por conta disso, muitas vezes é motivo de reclamação por aqueles que o utilizam. Já outros podem disseminar um cheiro de eucalipto, como no caso dos medicamentos utilizados para inalação em gripes e crises respiratórias.

Na realidade, existem diversos exemplos destas variantes de hálito pós-uso de medicação, tanto por causa de seus componentes como por até mesmo causarem também a xerostomia (diminuição de fluxo salivar).

Por isso, se a suspeita de mau hálito estiver presente em sua vida, analise se está fazendo uso de alguma medicação no momento e consulte seu médico. Nunca fique na dúvida!

tabagismoO fumo, ou tabagismo, seja qual for a sua forma de uso (cigarro, charuto, cachimbo, maconha), além de péssimos a saúde como um todo, na área odontológica proporciona o agravamento das inflamações gengivais, o surgimento do câncer de boca, manchamento dentário e, como características particulares ao nosso assunto principal, a xerostomia e o mau hálito.

Como potencializador de xerostomia, o fumo irá causar os sintomas desagradáveis referidos no post anterior, além de  promover também o crescimento das papilas gustativas, tornando a língua de aparência pilosa, mais favorável ao acúmulo de saburra devido a sua forma.

Como conseqüência ao acúmulo de saburra e o odor fétido de fumo que fica na boca, surgirá assim o mau hálito.

Portanto, se você não deseja ter mau hálito, trate de se livrar do fumo: com certeza será bem melhor pra si mesmo e para os que vivem ao seu redor.

fonte da imagem: (Flickr: trazomfreak)

A depressão é uma das doenças mais comum de nosso cotidiano, já que o dia-a-dia está cada vez mais cheio de atribulações e obrigações ,deixando-nos cada vez mais estressados. Assim, estresse não é palavra da moda: é pura realidade.

Antigamente ter depressão era um quadro considerado crônico e quase que de tendência familiar. Hoje, com o agravante do sintoma estresse, surgem as depressões em larga escala. Normalmente ligadas a um motivo sufocante aliado ao modo de encarar a vida de cada um.

E para nós,que tratamos de xerostomia (hiposalivação), estamos tendo a cada dia maior contato com este “mal do século” através dos pacientes que sofrem de xerostomia.

A diminuição de saliva ocorre primeiramente pelo intenso quadro de estresse que a pessoa se encontra durante a depressão. Isto é: o estresse é o primeiro contribuidor para a baixa de salivação. E depois dele eis que surgem os efeitos colaterais de alguns medicamentos antidepressivos e ansiolíticos, que causam esta sensação de boca seca provocada pela diminuição da saliva.

Isto significa de que o paciente em depressão terá obrigatoriamente mau hálito? Não necessariamente,mas ele terá uma forte tendência a que isso ocorra devido à alteração do fluxo salivar, da possível formação de saburra e dos odores também exalados por alguns destes medicamentos.

Por isso, em caso de dúvida sobre como eliminar este desconforto, a conversa com um especialista em Halitose pode ser de fundamental alívio ao transtorno bucal e diminuição dos fatores do estresse para quem está sendo vítima da depressão.

bebedourofonte da imagem: (Flickr: G R F)

O termo xerostomia significa secura bucal por baixo fluxo salivar (ou quantidade de saliva), que ocorre devido a uma deficiência ou alteração nas glândulas salivares.

Vários podem ser os motivos deste desequilíbrio funcional das glândulas, mas sabemos que dentre eles estão: o uso de alguns medicamentos (como antidepresssivos, ansiolíticos, antialérgicos, antihipertensivos, diuréticos e antineoplásicos), algumas doenças das glândulas salivares (como a Síndrome de Sjögren, Esclerose Sistêmica, e Sialoadenites), os regimes, o estresse emocional, a desidratação e o tratamento radioterápico, entre outros.

Com a redução da quantidade de saliva na boca, o surgimento da halitose é um fato bastante corriqueiro, já que a limpeza bucal que ocorre naturalmente com o fluxo normal sofre uma redução, favorecendo assim o acúmulo de restos alimentares na língua (a saburra), causadora em potencial do mau hálito.

A xerostomia, ou secura bucal, é um sintoma bastante desconfortável para quem o sente, sendo tratado com grande êxito pelo mesmo profissional especialista em halitose, independente de ter ou não o mau hálito. Por isso, se estiver apresentando por algum motivo esta sensação desagradável,o primeiro passo é aumentar a ingestão de água em seguida procurar um profissional habilitado para que possa resolver este problema.


Saúde + Hálito

Saudálito é um blog sobre o tema halitose e assuntos relacionados ao mau hálito. Regularmente são publicadas informações didáticas e dicas sobre este problema bastante corriqueiro na vida de todos, visando o esclarecimento acerca dos possíveis tratamentos e prevenções deste sintoma. Para informações sobre atendimento clique em Contato.

Blogs de colegas dentistas: